Na construção, os padrões de troca de dados entre diferentes plataformas evoluíram muito e existe uma ampla gama de software que trabalham trocando dados entre si.

As possibilidades de um projeto paramétrico podem chegar a mais longe do que apenas em processos de projeto estrutural. Qualquer coisa que possa ser medida pode, em teoria, ser integrada em um modelo paramétrico. Porém, a integração desses dados, quando falamos sobre o uso do BIM em obras civis, não é tão difundido quanto na construção civil.

Nesse artigo veremos os softwares usados na construção civil e exploraremos suas especificações em casa fase.

As plataformas de autoria de layout já têm uma longa história; softwares como Inroads, Istram – Ispol, Clip, MDT, Autodesk Civil 3D. São especializados no desenvolvimento de projetos de obras lineares e sob os regulamentos específicos em termos de layout adaptados a diferentes países.

Por outro lado, existem plataformas de autoria de edifícios: Revit, Archicad, Allplan, AECOsim, plataformas de autoria de estruturas como Tekla Structures, e que também são especializadas em construção. Entretanto, no campo da engenharia civil, eles podem ter um uso aplicável na geração do modelo virtual das estruturas do projeto. Nesse sentido, é verdade que todas estas plataformas de construção têm alguns comandos e ferramentas relacionadas ao terreno, mas ainda é um complemento para projetar o ambiente do edifício. Essas ferramentas relacionadas ao terreno são muito limitadas e não são de modo algum projetadas para questões de layout.

Obras civis: plataformas de projeto pré e conceitual


Os desenvolvedores Autodesk e Bentley lançaram a Infraworks e OpenRoads, respectivamente. Estas plataformas são orientadas para o campo da pré-engenharia e se concentram no pré-planejamento da adaptação e análise do impacto das infra-estruturas no solo. Sua utilidade está focada no fornecimento de informações para a tomada de decisões nas primeiras etapas do projeto.

Obras civis: o modelo de layout


Este layout foi projetado na ferramenta Autodesk Civil 3D.  Entretanto, a abordagem de fluxo de trabalho e interoperabilidade existente é possível com qualquer outro software de autoria de layout que possa exportar dados em formato .landxml, o padrão atual de transmissão de dados utilizado pelas plataformas de layout.

O ambiente e o desenvolvimento do projeto foram realizados levando em conta as premissas habituais necessárias para este tipo de software:

  • Geração de um terreno existente (levantamento topográfico, dados cartográficos,…)
  • Geração do layout do trabalho linear
  • Definição: do alinhamento da planta baixa
  •                       do alinhamento vertical
  •                       da seção padrão

O modelo de estrutura


Embora atualmente a Civil 3D e a Istram – Ispol estejam exportando no IFC, a transmissão de dados é muito mais satisfatória usando .landxml.

Porém, ao receber o arquivo em formato .landxml, plataformas BIM como REVIT e AECOsim podem receber estas informações para começar a fazer o modelo inicial e encaixar as estruturas que forem consideradas apropriadas.

Além disso, a própria REVIT possui uma ferramenta que permite modelar um viaduto diretamente a partir dos dados fornecidos.

Também neste ambiente é possível aproveitar a conexão com ferramentas de projeto paramétrico como o Dynamo, Flux IO – Rhino – Glasshoper para realizar a modelagem de estruturas mais complexas.

Este modelo inicial ou preconcebido das dimensões das estruturas pode ser transferido para um software de cálculo específico: SAP 2000, ROBOT, RM Bridge.

Uma amostra disso pode ser vista na imagem a seguir.

Contudo, os benefícios de combinar o projeto paramétrico com o BIM são uma abordagem baseada em esquemas algorítmicos, onde os requisitos de projeto são respondidos expressando parâmetros, seus valores e as regras que os definem.

As tecnologias digitais estão nos ajudando a visualizar mais do que as geometrias que nossas ferramentas paramétricas nos fornecem. Desta forma, ao substituir a documentação técnica por animações tecnicamente robustas, podemos construir narrativas visuais intuitivas e acessíveis para um esquema. Portanto, o desenho paramétrico ajuda a demonstrar a lógica de um esquema e fornecem uma linguagem compartilhada para negociar sua forma final.

 

O modelo de rede de drenagem


Logo, outra característica do software de autoria de layout é a capacidade de modelar redes de drenagem.  Fornecendo ferramentas para o cálculo de bacias de captação e conexões com software do tipo HEC-RAS.

 

Como vimos, existe uma variedade de softwares disponíveis com diversas funções dentro do setor para todas as fases, seja layout, conceitual ou estrutural (paramétrico). Além disso, muitos deles essenciais para a colaboração e o uso do BIM como ferramenta. Finalmente, para acompanhar a evolução digital é necessário estar constantemente atualizado e  preparado com os conhecimentos de software que facilitam o cotidiano através da automatização.

Sem mais artigos