As cidades do futuro devem ser o resultado de como a raça humana transforma suas maneiras de produzir e consumir de hoje em dia. Podemos ignorar as conferências sobre a depredação do planeta e sua sociedade, ou, entender que este é o único planeta que temos e que, portanto, devemos cuidá-lo. A indústria da construção representa 6% do PIB mundial, e espera-se que este mercado aumente para US $ 24.334,9 bilhões em 2021, particularmente devido às economias em crescimento nos países emergentes, ao aumento da população, ao incremento das parcerias público-privadas no desenvolvimento de infraestruturas e aos crescentes  investimentos governamentais em projetos de grande escala, como rodovias e redes ferroviárias.

Globalmente, o setor de construção aumentou sua produtividade anual em um valor insignificante de 1% nas últimas duas décadas, em comparação com 2,8% do aumento no PIB mundial e 3,6% no setor manufatureiro.

Por outro lado, a forma como se constrói até hoje é responsável por 36% do consumo mundial de energia e por quase 40% do total de emissões diretas e indiretas de CO2 do planeta. Por essa razão, o setor de construção a nível mundial está em um processo de transformação que permite controlar e quantificar suas emissões de CO2, bem como melhorar seus processos de produção através da incorporação de novas tecnologias e metodologias.

 

BIM, uma ferramenta (desafiadora) para a rentabilidade

Uma dessas tecnologias é o sistema Building Information Modeling (BIM), que vem ganhando espaço nos países desenvolvidos, impactando claramente a rentabilidade dos investimentos no setor, mas ao mesmo tempo provocando novos desafios para acelerar seu uso.

Talvez a coisa mais importante sobre o BIM seja que é uma ferramenta baseada na colaboração, que se torna mais eficaz à medida que o nível de uso aumenta. Nos países mais desenvolvidos, onde o BIM é usado de forma massiva.  As razões básicas que limitam e impedem os profissionais de usá-lo estão começando a surgir, apesar de seus benefícios. Essas razões são as seguintes: a falta de confiança nos dados; a impossibilidade de rastrear mudanças no modelo e um novo foco na responsabilidade dos participantes.

Desta forma, a tecnologia blockchain tem a proposta de tentar dar um sentido mais completo ao BIM, de modo que:

  • Permite o registro de toda a informação e documentação de um projeto.
  • Garante confiabilidade, segurança, rastreabilidade e armazenamento perpétuo das informações adicionadas e integradas ao modelo BIM.
  • Permite registrar e supervisionar a contabilidade dos participantes

 

O Projeto BlockBIM: Colaboração, inovação e conhecimento

O Projeto BlockBIM busca promover novos modelos e soluções tecnológicas para melhorar o desempenho do setor de construção, utilizando todo o potencial das tecnologias blockchain e BIM. Através do BlockBIM buscamos criar um espaço que promova a colaboração, a inovação e o conhecimento como base em um novo paradigma que impulsiona o desenvolvimento do setor diante dos desafios impostos pelos novos tempos.

 

 

BlockBIM International Master BIM Manager Zigurat

 

Sem mais artigos